ACI lança campanha de doações “Juntos contra a COVID-19”

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Montenegro/Pareci Novo (ACI) promove uma campanha regional para doações às famílias necessitadas e para o hospital de campanha instalado na cidade para o combate ao coronavírus. Intitulada “Juntos contra a COVID-19”, busca estimular a solidariedade entre toda a comunidade, formando uma corrente do bem para diminuir as dificuldades decorrentes do vírus.

Durante a campanha, serão aceitas doações de alimentos não perecíveis, materiais de limpeza, higiene, insumos e equipamentos hospitalares, além de contribuições financeiras e resíduos recicláveis, para serem convertidos em dinheiro. Todas as doações recebidas serão encaminhadas pela ACI para a destinação correta, conforme orientação da Prefeitura Municipal. 

Seguem abaixo os pontos de coleta:

Alimentos, itens de higiene, limpeza, insumos e equipamentos hospitalares:
Sede da ACI – Rua Ramiro Barcelos, 1700, 2º andar
Horário: das 8h às 12h – das 13h às 17h

Resíduos recicláveis:
Montepel – Rua Hortêncio Rodrigues Machado 40 – junto ao antigo engenho
Horário: das 8h às 12h – das 13h30 às 18h

Para a realização de contribuições financeiras, a conta indicada é:
Banco – 104 (Caixa E. Federal)
Agência: 0530
Conta corrente: 661-7
CNPJ: 91.361.592/0001-22
Favorecido: Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Montenegro/Pareci Novo

Para mais informações, a população deve entrar em contato com a entidade através do telefone 51 3057 4344. 

Nota oficial da ACI Montenegro/Pareci Novo sobre a COVID-19

Aos associados e comunidade,

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Montenegro/Pareci Novo está acompanhando os acontecimentos relacionados ao avanço da COVID-19 (Coronavírus), bem como as orientações e determinações das autoridades federais, estaduais e municipais.

Neste sentido, é crucial que as recomendações das autoridades de saúde sejam observadas e respeitadas, uma vez que, até o momento, tem sido a forma mais eficiente no combate à disseminação da doença.

O Decreto Estadual de número 55.128 de 19.03.2020, que declarou Estado de Calamidade no Estado, o Decreto Municipal de número 8.020, de 19.03.2020,  decretaram o fechamento de atividades não essenciais.

Certamente estes decretos colocarão o setor empresarial e produtivo em grandes dificuldades, ainda impossíveis de serem calculadas, uma vez que isto dependerá do tempo do emprego de tais medidas. Ao gestor, por sua vez, caberá adotar as medidas que julgar convenientes no sentido de minimizar suas perdas e garantir a sobrevivência da sua atividade, segurança e proteção de seus funcionários e clientes.

A ACI Montenegro/Pareci Novo, entidade representativa, preocupada com os efeitos econômicos que a atividade empresarial sofrerá e, em conjunto com a entidade mãe Federasul, está atuando no âmbito Estadual e Municipal com o intuito de minimizar os prejuízos.

Medidas Federais já estão sendo colocadas à disposição dos empresários, como a Resolução 4.782, de 16.03.2020, que trata de créditos tomados na rede bancária, que terão carência de 60 dias para sua quitação.

A prorrogação dos tributos do Simples Nacional já foi divulgada através da Resolução n. 152, de 18.03.2020, no Diário oficial da União, que prevê apuração dos impostos de março, abril e maio, onde estes terão vencimento nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2020, respectivamente.

Nesta mesma linha, juntamente com outras entidades, estamos postulando à administração pública municipal a possibilidade de postergação do pagamento de impostos municipais, entre outras medidas.

Na condição de entidade de classe, acreditamos na sensibilidade dos Governos nas esferas Federal, Estadual e Municipal no sentido de flexibilizar a entrega das obrigações fiscais e pagamentos dos tributos.

O momento pede calma, paciência e serenidade para enfrentarmos o que vem pela frente.

Estaremos atentos e acompanhando os acontecimentos.

Prefeitura Municipal de Montenegro decreta situação de emergência

Hoje, a Prefeitura Municipal de Montenegro decretou situação de emergência e estipulou medidas para estabelecimentos como restaurantes, bares e casas noturnas, buscando medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo Coronavírus (COVID-19) no município de Montenegro.

Confira o Decreto 8.020/2020: http://bit.ly/Decreto8020-COVID19-MGO

Diretoria da ACI Montenegro e Pareci Novo renovada para o biênio 2020/2021

A cerimônia de posse da nova diretoria da ACI Montenegro e Pareci Novo foi realizada na sede da Associação na última quarta-feira (11) e contou com a presença de autoridades locais e regionais, representantes de entidades parceiras e associados.

Após a assinatura do termo de posse, o presidente reeleito, Karl Kindel, realizou o seu pronunciamento, quando lembrou da frase do ex-presidente Fredi Cauduro, que dizia que “é preciso oxigenar a ACI”. “Esta pergunta provocativa norteou até hoje os vários projetos que desenvolvemos nas gestões anteriores, desde o aumento de núcleos até a criação do atual Eco Pila”, destaca Kindel.

Pensando em “oxigenar” ainda mais a Associação, o corpo diretivo neste biênio desenvolverá uma importante renovação na força de trabalho. As diversas demandas que a entidade exige serão compartilhadas com os membros da diretoria, não mais centralizando processos decisórios apenas na pessoa do presidente.

Kindel reforçou o convite para todos os empresários, enfatizando que mesmo com a composição da diretoria já definida, a entidade está aberta para aqueles que desejam expor suas demandas e sugestões. A importância do engajamento da classe empresarial se dá pelo fato de a ACI ser muitas vezes uma voz representativa para a comunidade, trazendo benefícios para todos, não apenas para o âmbito comercial/industrial. “Os projetos que a ACI desenvolve e propõe devem estar em conexão com os anseios do empresariado, razão mais do que suficiente para que todos estejam engajados na causa associativa”, reforça.

Na ocasião, o presidente anunciou que a Associação está atualmente trabalhando em um projeto que pretende arrecadar recursos e contribuição do ICMS e destinar exclusivamente para a segurança pública na região.

Entre palavras de agradecimento pela recondução da presidência na casa, Kindel reconheceu Lúcia Elena como a primeira representação feminina na vice-presidência da ACI Montenegro/Pareci Novo e desejou para a nova diretoria votos de perseverança, esperança, energia, atitude e disposição para os próximos dois anos.

Diretoria da ACI Montenegro/Pareci Novo 2020/2021

Eco Pila vira case de sucesso na região

Ângelo Fontana, Vice-presidente regional da Federasul (Vale do Sinos e Vale do Caí), mencionou durante seu pronunciamento que o Eco Pila é atualmente um modelo dentro das associações de outras regiões e que sua ideia vem se multiplicando. Fortaleceu a importância de seguir fomentando dentro das cidades um trabalho de aproximação de novas lideranças e empresários, a fim de que haja maior participação de cada um, em prol do desenvolvimento das cidades e regiões.

“O empreendedor não pode ser interrompido por uma burocracia”

Em seu discurso, o prefeito municipal de Montenegro Carlos Eduardo Müller destacou que “quem faz a economia são os empreendedores, não são os políticos” e reconheceu o rejuvenescimento da ACI Montenegro e Pareci Novo nos últimos anos, tanto pelo ingresso de jovens empresários na Entidade, quanto pela inovação em projetos. Mencionou que a prefeitura pretende cada vez mais desburocratizar processos, junto à SMIC (Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo), em prol do empreendedor, através de procedimentos menos engessados. “O empreendedor não pode ser interrompido por uma burocracia. Junto com a SMIC, conseguimos construir uma estrutura que seja facilitadora.”

Confira os membros da nova diretoria:

Presidente: Karl Heinz Kindel (Imobiliária Kindel)
Vice-Presidente de Administração e Finanças: Lucia Helena da Motta Haas (EML Contabilidade)
Vice-Presidente de Indústria, Comércio e Prestação de Serviços: Fabrício Coitinho (Hexion)
Vice-Presidente de Assuntos Sociais, Educação e Saúde: João Batista Dias (Montepel)

Membros do Conselho Fiscal titulares da ACI:

Vilson José Fachin (Fachin e Ferla Contabilidade)
Dr. Waldir João Kleber (Unimed Vale do Caí)
Lorenzo Mattana Muller (HGM Sistemas)

Suplentes do Conselho Fiscal:

Margit Martina Kochenborger Kaspper (EML Contabilidade)
Dr. Marcos Gilberto Leipnitz Griebeler (CGC Contabilidade)
Fredi Bordin Cauduro (Poker)

Diretoria de Administração e Finanças:

Gerson Shardong (Shardong Consultoria)
Marili Mombach Friedrich (Supermercados Mombach)
Letícia Tonietto (Arquitetura Tonietto)
Roberto Bellina (Bellina Imóveis)
Alfredo José Heinz (GTC Internet)
Jorge Ferla (Fachin e Ferla Contabilidade)
Alexandre Franczak (Alpendre)
Henrique Kuhn (Tanac)

Diretoria de Indústria, Comércio e Prestação de Serviços:

Ernesto Kasper (Ecocitrus)
Vera Salberg (UZ Shoes)
Felipe Brand (Segundo Turno)
Samuel Pinheiro Costa (Barbearia 1989)
Magda de Azeredo (SESC Montenegro)
Marcelo Sarmento (Renauto Autopeças)

Diretoria de Assuntos Sociais, Educação e Saúde:

Maria Helena Schüler Luft (Instituto de Educação São José)
Caroline Kothe (Unisc)
Robledo Temp (Unimed Vale do Caí)
Filipi Erthal (Soma Auto Posto)
Julia Maria Hummes (Fundarte)
Maria Helena Rocha (Novocitrus)
Lório Schrammel (Colégio Sinodal Progresso)

Professor Pachecão encerra calendário de palestras em 2019

Foi com muita animação que o professor Pachecão subiu ao palco do Clube Riograndense na noite do dia 25 de novembro para ministrar a palestra “Sucesso: A arte de realizar sonhos”. E logo explicou: “Eu não entendo de negócios, mas entendo de gente”. E foi sobre isso que o professor conversou por duas horas, que mais pareceram minutos: sobre pessoas e relacionamentos.

José Inácio da Silva Pereira nasceu em Laranjal e contou aos presentes sua história a partir da difícil infância no estado de Minas Gerais. Quem esperava uma história triste de superação e cheia de impossibilidades pelo caminho, pode ter se decepcionado. Pachecão apresentou sua narrativa com bom humor e leveza. Para ele, quando as adversidades surgem, a regra é uma só: “Não reclame. Agradeça!”. Foi agradecendo que o professor encontrou oportunidades de crescimento quando as coisas fugiam do seu planejamento.

Citando de Raul Seixas a Sócrates, o professor indica o poder de decisão como o principal diferencial para conquistar algo. “Tudo no mundo é possível desde que você queira. O que você anda querendo?”, indagou Pachecão para uma plateia ainda um pouco desconfiada sobre a fórmula para o sucesso apresentada. Desconfiança que caía por terra à medida que o palestrante arrancava boas risadas do público.

“A insatisfação é o primeiro passo para a mudança na vida de um homem ou de uma nação”, comentou o professor, enquanto narrava as insatisfações que o fizeram crescer. Comparações feitas pela família com primos e irmãos, garotas que o rejeitaram na mocidade, a dúvida dos pais sobre a profissão escolhida por ele, colegas professores que queixavam-se do método de ensino aplicado por Pachecão… Todos esses fatores, ao invés de desanimá-lo, o impulsionaram na busca de seus sonhos.

Mesmo afirmando não entender de vendas, o professor demonstrou grande conhecimento sobre. O segredo, segundo Pachecão, está nas pessoas “É entender de gente, gostar de gente e ter paciência com gente”. E completou: “Vender é solucionar problemas para o cliente, é necessário transformar o funcionamento confuso de um produto em algo simples, para que o cliente possa entender”.

Café celebra um ano de Ecopila

O projeto Ecopila foi tema de um Café com Associado, realizado nessa quarta-feira no restaurante do Clube Riograndense. A iniciativa completou um ano e o coordenador do Núcleo Socioambiental da ACI, João Batista Dias, apresentou os avanços e resultados desses 12 meses.

Ao elencar quais os problemas da cidade na área ambiental, o Núcleo percebeu que a destinação de resíduos era o principal deles. Assim, Ecopila começou a tomar forma, idealizado para ampliar a educação na área ambiental. “O nosso problema é cultural e escolhemos mudar isso através do incentivo. Para alterar algo na sociedade é necessário criar novos hábitos. Por isso, todas as quintas-feiras, faça chuva ou faça sol, nós estamos na praça Rui Barbosa recolhendo resíduos”, explica João Batista.

Cerca de 60 empresas são parceiras do Ecopila atualmente, além de diversas escolas da região que apoiam a iniciativa. Em um ano foram quase 50 toneladas de resíduos recolhidos. Semanalmente são arrecadadas cerca de 1,5 toneladas. “O projeto está começando a fazer parte da cultura das pessoas, o que era o principal objetivo do Ecopila”, comemora.

Durante a palestra, foram repassados 482 Ecopilas para a APAE Montenegro, como parte do trabalho social (equivalente a R$ 482,00). O plano para os próximos 12 meses é seguir estendendo as atividades de gincanas socioambientais e realizar a criação de uma plataforma de projetos para as escolas parceiras. Além disso, projeta-se para o futuro a implantação em outros municípios. Nos próximos dias será anunciada a criação de uma nova cédula do Ecopila, a nota de dez.

Ao final do evento, os participantes puderam esclarecer dúvidas sobre sustentabilidade e o trabalho realizado pelo Núcleo Socioambiental, sugerindo iniciativas alinhadas ao Ecopila.

Como funciona o Ecopila?

  • Todas as quintas-feiras pela manhã, háuma equipe na Praça Rui Barbosa recolhendo e pesando os materiais.
  •  Como pagamento por esses resíduos, as pessoas receberão Ecopilas, dependendo da quantidade de material entregue.
  • Em seguida, essa moeda pode ser utilizada em empresas locais cadastradas. Um Ecopila é equivalente a 1 Real e o Meio Ecopila corresponderá a R$ 0,50.
  • Depois, as empresas trocam os Ecopilas que receberam junto à Empresa Montepel.
  • Do valor total recebido, 10% retorna ao Núcleo Socioambiental para ser utilizado em ações sociais e na  sustentabilidade do projeto.

Movimento da 6ª ExpoACI anima expositores

Durante o segundo dia da 6ª ExpoACI, que acontece no Clube Riograndense e na Praça Rui Barbosa, o fluxo de visitantes surpreendeu os expositores. José Augusto Mombach Friedrich, diretor comercial dos Supermercados Mombach, Patrocinador Ouro da Expo, conta que a expectativa para a divulgação do número de participantes está alta. “No primeiro dia, tivemos uma ótima prévia do que seria a feira, com um excelente movimento”, relata.

A proposta das empresas não tem sido a venda de produtos, mas relacionar-se com o público. Claudio Júnior Campos Boes, trade marketing da Vibra, Patrocinadora Diamante da Expo, acredita que a feira é uma ótima vitrine para a interação das empresas com o público. “É importante fortalecer o mercado da cidade. Mostrar para os moradores de Montenegro o que a empresa faz, o que ela representa. Estamos aqui para criarmos um relacionamento com os visitantes”, explica. Boes mostra empolgação com  dimensão da feira desse ano “Pudemos observar que, em relação ao último ano, o movimento do público cresceu muito”.

Friedrich também enxerga no evento a possibilidade de fortalecer laços. “Acreditamos que muitos dos visitantes da feira também frequentam nossas lojas. Assim, nossa proposta é nos aproximarmos mais da comunidade montenegrina. A visibilidade que a feira traz junto às empresas que também estão expondo, além dos passantes, é muito importante. Nosso intuito é fazer parcerias.”

Empreendedorismo é destaque na abertura da 6ª ExpoACI

Nessa quinta-feira foi o primeiro dia da 6ª Expo ACI. Os expositores desse ano ocuparam os espaços do Clube Riograndense e da Praça Rui Barbosa para compartilhar seus produtos e serviços com o público. O Conjunto Instrumental do Colégio Sinodal Progresso deu início às atividades do dia tocando o hino nacional, que foi acompanhado pelas vozes dos presentes. Em seguida, o presidente da Associação, Karl Heinz Kindel, tomou a palavra para agradecer a todos os expositores, patrocinadores, apoiadores e demais entidades envolvidas na execução do evento.

O presidente destacou o quão importante é a realização da Expo ACI, ressaltando o crescimento da feira mesmo em meio ao atual cenário econômico do país.

“Em épocas em que nós ainda falamos de crise econômica, realizar um evento em que houve novamente um crescimento de 30% de participação em relação ao último ano, merece ser comemorado”, celebra.

É o comprometimento de todos os envolvidos na feira que permitiu a realização da 6ª edição do evento. “Isso se chama realização. E realizar é o que move as pessoas, as empresas e os empreendedores. Acreditar é o primeiro passo para fazermos acontecer. Eu acredito que a experiência que a ExpoACI proporciona a todos aqui envolvidos é uma pequena amostra do que todos nós enquanto sociedade podemos fazer na cidade e pela cidade. Que isso sirva de estímulo para a gente, de inspiração para muito mais do que a cidade pode fazer”, motivou o presidente, que encerrou sua fala informando que o planejamento da edição do próximo inicia no mês que vem.

O Diretor de Turismo de Pareci Novo, Carlos Barreto, ressaltou a importância de estimular o empreendedorismo e o desenvolvimento, que faz parte da história da cidade “desde os pioneiros que chegaram no Porto das Laranjeiras trazendo os ventos da mudança”.

O prefeito de Montenegro, Carlos Eduardo Müller, também falou ao público.  Em seu discurso, salientou a relevância da ExpoACI ao unir tantos empreendedores em prol do desenvolvimento do município. Além disso, destacou novos projetos da indústria que devem chegar à cidade, empregando ao menos mil trabalhadores.

Fórum da Qualidade é sucesso de público em sua 25ª edição

Salão cheio, olhos e ouvidos de empresários e colaboradores atentos: na noite desta segunda-feira, dia 26, mais uma edição do Fórum da Qualidade e Gestão de Pessoas foi realizada. O evento está no seu 25° ano e é uma promoção da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Montenegro e Pareci Novo. Durante a noite, os participantes tiveram uma imersão em todo o conhecimento e experiências apresentadas pelos palestrantes Fernanda Aguiar, Marili e os filhos José Francisco e José Augusto, do Supermercados Mombach, e Jader Denicol do Amaral.
“A simbologia do número 25 representa ¼ de século de um evento que segue a mesma linha de atuação. Um projeto que se mantém em sintonia com as necessidades dos dias atuais. Um evento que busca proporcionar conhecimento à comunidade, a partir de temas relevantes”, destacou o presidente da ACI, Karl Heinz Kindel, em sua fala de abertura.
Karl ainda destacou que os cases escolhidos para o evento, principalmente o Prata da Casa, sobre os desafios de uma empresa familiar, com o Supermercados Mombach, visam incentivar um novo olhar para a cidade. “E para que esses exemplos nos sirvam de motivação. Acreditar mais e melhor fará uma grande diferença no futuro”, pontua.
O Fórum foi realizado das 18h30min até aproximadamente 22h30min, no Riograndense.

Equipe engajada, sucesso no negócio
A primeira palestrante da noite, Fernanda Aguiar, conduziu a temática “Equipes de Alta Performance: Engajamento de Pessoas”. Fernanda é consultora de empresas com foco em equipes de alta performance e gestão para resultados, professora, pesquisadora, além de líder de pessoas e gestora de processos.
Entre os tópicos abordados durante sua apresentação, explicou sobre o que classifica equipes de alta performance. “Com visão e objetivos alinhados com a organização, esses colaboradores se comprometem e dão o melhor de si. Desenvolvem o sentimento de pertencimento à empresa. O papel e desafio da liderança nesse contexto e em meio ao processo de 4ª Revolução Industrial, é justamente promover desafios, gerenciar os conflitos, saber lidar com as diferenças, ter conexão e empatia pelos colaboradores”, afirma.
Reforçar oportunidades de crescimento, recompensar, promover a integração e oferecer capacitação também são formas estimular o envolvimento dos funcionários. “E exercer a liderança. Mas lembrando que os valores estão ligados à prática do trabalho. O discurso da empresa, da liderança, precisa combinar com a prática para engajar uma equipe”, diz.

Desafios de uma empresa familiar
O case local, Prata da Casa, do 25º Fórum da Qualidade e Gestão de Pessoas foi o Supermercados Mombach, com a palestra “Tradição e Inovação: Os Desafios de uma empresa familiar”. Marili Mombach Friedrich e os filhos José Francisco e José Augusto contaram a história do supermercado, que nasceu como um armazém de secos e molhados, pelos pais de Marili, em Salvador do Sul.
Durante os 62 anos de tradição, em 3 gerações da família, foi preciso superar alguns períodos de dificuldade financeira, atualizar-se frente a um novo consumidor e processos de compra. Os laços foram se fortalecendo com a comunidade, com muito empenho e dedicação, e hoje a empresa é referência em supermercados.
Excelência em atendimento, valorização e respeito às pessoas, ética, honestidade e profissionalismo, além de responsabilidade social, inovação e melhoria contínua são alguns valores que regem a rede de Supermercados Mombach.
Dentro dessas propostas, iniciativas como o Passeio Ciclístico, que já está na 4ª edição, o Mombach Solidário e Eco Mombach, que visa reduzir o uso de sacolas plásticas, foram criadas pela empresa.
“Desafios todos nós temos diariamente. Mas precisamos enfrentá-los”, salienta Marili.
“E nós queremos oferecer um ambiente cada vez mais acolhedor, com uma boa experiência de compra ao nosso cliente. Um legado de qualidade e compromisso com a comunidade”, completa o filho José Augusto.

Liderar com inteligência emocional
A última temática abordada na noite foi “Liderando com Inteligência Emocional”, conduzida por Jader Denicol, mestre em Desenvolvimento Humano, Master Coach, Pracctitioner em PNL, Empresário, Diretor do Centro de Desenvolvimento Humano, Trainner do Programa Alma de Líder, Professor Universitário e Palestrante.
Com dinâmicas envolventes, explicou ao público sobre inteligência emocional, racionalidade, escolhas e termos como autoliderança, autoconsciência, autogerenciamento, autocontrole, automotivação e autoconhecimento.